Pensamento Tangencial

Onde a simplicidade ganha forma revelando o meu ser.

11.6.16

Receita de Arroz Doce/Arroz de Leite

Com esse friozinho gostoso, nada como um doce clássico para adoçar a vida.

Faz algum tempo que venho fazendo essa receita de Arroz Doce/Arroz de Leite que é simplesmente divina! Então nada mais justo que compartilhá-la com vocês.



Eu havia pego uma receita na internet, mas o doce ficou muito “socado”. Como eu gosto de Arroz Doce cremoso, então eu adaptei a receita e ficou mais deliciosa ainda!

Você vai precisar de:

- 1 litro e 1/2 de leite desnatado;
- 2 xícaras de arroz branco;
- 3 xícaras de açúcar;
- 1 lata de leite condensado;
- canela em pau a gosto (eu costumo colocar 2 pauzinhos);
- canela em pó a gosto para colocar por cima do doce.

Como fazer:
  1. Cozinhe o arroz no leite com a canela em pau;
  2. Após 20 minutos, acrescente o açúcar e deixe cozinhar por 20 minutos;
  3. Acrescente o leite condensado e deixe cozinhar por mais 20 minutos;
  4. Depois de pronto, deixe esfriar um pouco e, então, coloque em uma forma/prato de sua preferência, salpique com canela em pó e coloque na geladeira.
  5. Atenção: mexa de tempos em tempos para o arroz não grudar no fundo da panela.

E é só isso!
Mais fácil que tirar doce de criança e fica uma delícia gente!

Quem fizer depois vem aqui dizer como ficou. ;)

Até uma próxima receita!
Bom fim de semana!!

9.6.16

Uma Carta de Amor

Está com vontade de ler um romance despretensioso? Então, pegue um livro do Nicholas Sparks.
Sempre que estou com preguiça de ler algo mais elaborado, seleciono um livro do Sparks para ler. Pois, sei que ficarei presa em suas páginas e que matarei a sede de um romance.

Apesar de os seus livros seguirem sempre a mesma fórmula, prendem a atenção e costumam ser leituras agradáveis.

Eu perdi as contas de quantas vezes assisti ao filme Uma Carta de Amor. Apesar do final irritante, sempre me encantei com esse filme.
Então fiquei super feliz quando a editora Arqueiro lançou aqui no Brasil o livro que deu origem ao filme.



O livro tem como personagens principais Theresa e Garrett.

Theresa, uma jornalista desiludida com o amor, devido ao turbulento divórcio, sai de férias por alguns dias e vai para uma praia. Lá, encontra uma garrafa contendo uma carta dentro. Ao ler a carta, Theresa se depara com uma linda mensagem de amor, que a toca de maneira profunda.

A partir de então, Theresa fica extremamente curiosa sobre o autor e não medirá esforços para encontrá-lo. Contudo, a única informação que consegue descobrir sobre ele é o seu nome - Garrett - que está escrito ao final da carta.

Com o passar do tempo, Theresa resolve publicar essa carta na coluna do jornal em que trabalha. E, para a sua supresa, leitores entram em contato dizendo que também possuem cartas desse mesmo misterioso remetente.

Pesquisando daqui e dali… Theresa acaba chegando em Wilmington, uma deliciosa e pacata praia, que possui entre os seus moradores... Garrett.

Garrett, é um cara sensível e profundo, que teve uma importante perda em sua vida. Aos poucos, ao ir conhecendo melhor Theresa, vai revelando mais de sua vida e um tórrido romance se inicia entre eles.


Uma Carta de Amor segue a mesma fórmula dos outros romances do autor. Mas, acredito que, por ter personagens mais maduros, acabei gostando bastante desse.

Garrett e Theresa são muito humanos, reais. Personagens repletos de qualidades e defeitos, verossímeis. O amor que nasce entre eles é uma delicia e o desfecho é de cortar o coração.

Enfim… Super indico à aquelas que estão com vontade de ler um belo e sensível romance.

Avaliação:



Sinopse:
Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém. Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro. Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim: “Minha adorada Catherine, sinto a sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos.” 
Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas “Garrett”. Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theresa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte. Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garrett chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também. 
Unidos pelo acaso, Theresa e Garrett estão prestes a viver uma história comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e sermos felizes para sempre.

Segue abaixo o trailer do filme - estrelado por Kevin Costner.
Uma boa pedida para essa tarde fria...




3.6.16

Minha Vida na França

Minha Vida na França, de Julia Child, é a sua autobiografia, que foi escrita com a ajuda do sobrinho-neto de seu marido, Alex Prud'homme, onde ela narra como foi parar no mundo da culinária.



Julia Child (1912-1994) era uma americana, que se tornou famosa devido aos seus livros e programas culinários nos Estados Unidos. Fã da culinária francesa, Child tinha como meta ensinar as donas de casa americanas a prepararem os mais variados pratos franceses.

Mas, para chegar aí, foi bastante demorado e não foi uma jornada fácil...

A paixão por culinária começou quando o marido de Julia, que trabalhava para o Serviço de Operações Especiais do governo americano, foi transferido para Paris. Julia e Paul se conheceram através desse emprego nos Estados Unidos. Ela trabalhava na parte de arquivos e Paul em alguns projetos secretos – relacionados à Segunda Guerra Mundial. Em um dado momento, eles acabaram trabalhando no mesmo setor. Então foram se conhecendo, se aproximando e acabaram se casando.

Quando apareceu a oportunidade de transferência para Paul para a França, Julia arrumou as malas, deixou o trabalho, a família e partiu com o marido para a cidade das luzes.

Em Paris, Julia se apaixonou pela culinária local. - Não tem como não se apaixonar, né? - Ficou encantada com a cidade, com a cultura e com o modo de viver dos parisienses. Em pouco tempo, dominou o francês e começou a se aventurar nas escolas culinárias de lá.

Julia acabou ingressando à famosa Le Cordon Bleu, onde aprendeu a autêntica culinária francesa.
Com isso, ficou cismada em passar esse conhecimento para as cozinheiras americanas. Em vista disso, com a ajuda de sua amiga francesa, que se chamava Simca, iniciou o processo de escrever um livro de culinária, que ficou pronto oito anos depois e com mais de 700 páginas.

Contudo, Julia não tem a sorte em ficar em sua amada cidade – Paris – por mais de cinco anos. Paul acaba sendo transferido para outros locais da França e até para a Alemanha.

O transcorrer desses anos você acompanha com detalhes no livro. Julia narra como era o modo de viver em cada local, como eram as suas rotinas e fala, principalmente, sobre a sua grande paixão: as refeições.

Com o passar dos anos, Julia e Paul retornam aos Estados Unidos, onde ela consegue vender os seus livros de culinária e é convidada a fazer um programa de televisão. Com isso, fica muito famosa e até hoje é lembrada com muito carinho pelos americanos.

Aí vai uma “palhinha” de um de seus programas:


Mas Minha Vida na França é muito mais que uma biografia. É um livro escrito para os amantes de viagens e da boa comida! Você degusta, através de suas páginas, os melhores vinhos e saboreia refeições deliciosas. Você vivencia a França e morre de saudades de Paris, junto com Julia.

O livro é repleto de belas fotos - um lindo acervo que foi tirado e guardado com muito carinho pelo seu marido Paul.



Eu me deliciei nas páginas desse livro! Quando estive em Paris, passei pelos mesmos lugares que Julia frequentava. Inclusive, tirei fotos dos mesmos locais. Nostalgia pura!

Foto tirada por Julia, famosa escadaria no Montmarte - caminho para a Basílica "Sacré Coeur".


Foto tirada por mim, subindo as mesmas escadas, em direção à Basílica:


O único detalhe que achei ruim é que, por momentos, a leitura fica muito entediante. Você cansa das descrições detalhadas das refeições e das rotinas sem muito “quê” de Julia. Apesar de ter gostado do livro, eu levei meses para concluí-lo. Precisei intercalar com outras leituras, porque ficava muito entediada e me dava sono.
Contudo, foi uma leitura que valeu super a pena.

Ah! Se vocês quiserem assistir a um filme sobre a Julia Child, tem um que é gostoso, levinho e que, provavelmente, vocês já assistiram: Julie & Julia. O filme é inspirado em algumas memórias contidas nesse livro.


Após ter lido o livro, até me deu vontade de assistir ao filme novamente. Pois, faz alguns dias que terminei a leitura e estou morrendo de saudades de Julia.

Avaliação:



Skoob:
https://www.skoob.com.br/minha-vida-na-franca-67375ed74402.html


Sinopse:
Neste livro, escrito a partir do depoimento de Julia ao escritor (e seu sobrinho-neto) Alex Prud'Homme, está o delicioso relato dos anos em que a culinarista famosa viveu sua grande transformação de vida: de uma americana de classe média acostumada a comida "fast food" como qualquer conterrânea de sua época à estrela da cena gastronômica. 
Julia foi parar em Paris em função da vida profissional do marido, Paul Child, funcionário do governo dos Estados Unidos. Paul, mais velho que ela, já conhecia e era apaixonado pela França quando o casal desembarcou na Europa. Julia não tinha ideia do que encontraria, mas guardava uma secreta simpatia de ouvinte das histórias de Paul. 
"Minha Vida na França" condensa seis anos de descobertas, entre 1948 e 1954. Da travessia marítima até o Velho Continente ao primeiro bistrô. Do contato com o maravilhoso mundo das manteigas "com sabores" à estreia no Instituto Le Cordon Bleu. Tudo isso tendo como cenário a França, e Paris mais especificamente. Esse livro, acima de qualquer coisa, é uma saborosa declaração de amor ao país.


“Lembre-se: ninguém é mais importante que as pessoas. Em outras palavras, a amizade é o mais importante, não a carreira, nem o trabalho doméstico, nem o cansaço da gente. E precisa ser nutrida e conservada. Então fizemos as malas e partimos. E graças a Deus que tomamos essa decisão.”
Pág. 278

30.5.16

500 receitas!

Eu adoro cozinhar coisinhas delicadas e práticas, como cupcakes, muffins e cookies.
Em vista disso, estava a procura de um livro novo. Pois, sempre as mesmas receitas enjoam... E não gosto muito de ficar pegando receitas na internet. Gosto de ter os livros para folhear, ver as fotos dos pratos e encher de post-its aquelas receitas que pretendo fazer.

Então, olhando aqui e ali, deparei-me com esses dois pequenos grandes livros: 500 cookies e 500 tortas doces & salgadas.


Eu me apaixonei por esses livros gente!
São repletos de receitas deliciosas, fáceis e detalhadas.
E o mais legal é que a coleção é enorme!! Além desses dois que comprei, também tem 500 bolos, 500 receitas mediterrâneas, 500 pizzas & pães, 500 cupcakes & muffins, 500 receitas italianas etc. Dá vontade de comprar todos!

Quanto ao preço, são bem em conta! Comprei os meus volumes na Amazon: 500 tortas doces & salgadas foi R$ 17,91 e 500 cookies foi R$ 26,91.

O livro 500 tortas doces & salgadas é um encanto!


Você encontra desde simples receitas de mini tortas, até outras grandes e bem mais sofisticadas. Além disso, também se depara com diversas dicas.





Tem uma seção com receitas clássicas e até como fazer calzones você encontra!



Já, o livro 500 cookies, não contém somente o clássico cookie conhecemos...


Mas, também, diversas receitas de deliciosas bolachinhas, biscoitos e até barras de cereais!




Assim como o primeiro, contém diversas dicas interessantes no início - do tipo como assar, armazenar os cookies etc.


E, além de cookies, você também encontra receitas de brownies e várias outras delícias!



Vale a pena o pequeno investimento, né?

Vocês podem clicar nas fotos para vê-las ampliadas e, assim, conseguir dar uma espiada nas receitas.
Todas foram tiradas em um dia de muito frio e preguiça, onde eu e os meus gatos estávamos enrolados no sofá. Então nenhuma está com uma bela qualidade... Mas dá para ter uma ideia. :p

Assim que eu fizer alguma dessas delícias, vou postar no Instagram para vocês. ;)

Bora para a cozinha!! Boa semana semana pessoal!