16.9.13

A menina que semeava

Eu simplesmente me apaixonei pela capa desse livro assim que a vi!

Tanto o título quanto a sinopse, aguçaram minha curiosidade! Então, assim que o meu volume da Novo Conceito chegou, não pensei duas vezes em pegá-lo para ler.

Comecei a leitura de A menina que semeava, de Lou Aronica, cheia de expectativa! Estava esperando encontrar algo diferente, mágico, envolvente... Porém, não foi bem isso que encontrei... :/

A história tem Becky, uma menina de 14 anos, como personagem principal.

Becky, apesar de estar saudável, teve uma infância bastante difícil. Pois, ela é portadora de leucemia.
Entre as idas e vindas de hospitais, Chris, pai de Becky, para tornar essa experiência menos dolorosa, passou a criar com a filha um mundo mágico chamando Tamarisk. Assim, ele e Becky passavam criando histórias e personagens desse novo mundo, se distraindo da vida real tão dolorosa.

Mas o tempo passa... Becky cresce, seus pais se separam e Tamarisk passa a ser um reino esquecido.

Becky, aos seus 14 anos, consegue levar uma vida normal. Vai à escola, tem uma grande amiga e, inclusive, está se apaixonando. Porém, o câncer, que Becky pensava que fizesse parte do seu passado, retorna e faz com que a sua vida vire de pernas para o ar novamente.

Porém, não é somente o câncer que retorna à vida de Becky... Tamarisk, o reino que ficou esquecido por tantos anos, também!

Becky passa a sonhar seguidamente com Tamarisk. Durante os sonhos, ela visita o reino e conversa com diversos seres de lá. E esses sonhos são tão autênticos que ela passa a acreditar que realmente esteve em Tamarisk e que o reino é real!

No início, o pai de Becky tenta lembra-la de que esse reino fazia parte apenas da imaginação deles e que não era real. Porém, Becky fala com tanta convicção da sua existência e, inclusive, dos problemas que estão ocorrendo por lá, que seu pai começa a ficar convencido de que Tamarisk realmente existe e que sua filha descobriu um portal para ir até lá.

Então é nessa dualidade que a história do livro segue adiante... Tamarisk é ou não é real? É apenas uma fuga de Becky ou ela realmente está indo até lá? Qual é a relação que Tamarisk tem com o câncer de Becky? Essa correlação existe?

Conforme você vai lendo, vai tentando encaixar esse quebra-cabeça que, no fim, acontece bem o que você imaginava... O.o Pois é, eu não obtive surpresas...

Além disso, em paralelo, há o drama familiar de Becky. As constantes de brigas de seus pais para ficarem com a menina... Sua mãe que já está casada com outro homem e que não acredita nas histórias que Becky conta sobre Tamarisk... O amor de seu pai, que faz de tudo para conseguir ficar mais próximo da filha... Becky confusa com relação à sua família...

Mesmo assim, o livro não conseguiu atingir as minhas expectativas. :/
Eu esperava muito mais! Achei a obra muito sem graça...

Uma temática pesada como a leucemia, merecia um aprofundamento maior. Além disso, acho que o autor poderia ter criado personagens mais profundos e complexos. A obra, como um todo, ficou muito na superficialidade. A maior parte de suas páginas são redundantes, tornando a história repetitiva.

O reino Tamarisk não me encantou... Achei os personagens do reino muito chatos, eu ficava desanimada toda vez que tinha que ler sobre Tamarisk. É um reino que não encanta e que entedia...

Outro detalhe que achei muito estranho foi o título. Quando cheguei ao fim do livro, notei que o título A menina que semeava não combinava muito com a história... Então descobri que o título original é Blue! Esse sim, tem tudoo a ver com a história! Não sei por que a tradutora resolveu modificar o título... O original é muito melhor!

Enfim... A menina que semeava foi, para mim, um livro que prometia muito, mas que ficou apenas na superficialidade. Um reino que prometia ser lindo e encantador, mas que achei muito chato.
Comigo, a magia não aconteceu e os dramas familiares não me convenceram...

Espero que, para vocês, a experiência em Tamarisk seja melhor e mais encantadora... :)

Avaliação:


Skoob:

Sinopse:
Chris Astor é um homem maduro, um botânico bem-sucedido, mas, especialmente, um pai amoroso. Sua filha — Becky — é, para ele, seu maior e melhor projeto. Mas a garota, tão amada, tem câncer.
O que pode um pai quando sua filha foi acometida por uma doença assim, nociva? Como diminuir o sofrimento de uma criança tão amada?
Apesar de sua agonia, Chris encontra uma maneira mágica de acolher sua menininha. Para que ela se recupere bem, e mais rapidamente, ele cria um mundo paralelo, cheio de fantasias, e histórias, e personagens maravilhosos que parecem ter o poder milagroso da convalescência.
E nada no mundo, nem sua sanidade, nem seu trabalho, nem mesmo sua mulher serão obstáculos para a determinação deste pai que só tem o propósito de ver sua filha feliz.
Uma história sobre desespero, esperança, invenção e descoberta que ultrapassa qualquer razão, qualquer limite, enquanto você revê tudo aquilo em que acredita.

Book Trailer:



Aproveite para conferir outros lançamentos! ;)


Boa semana pessoal!! :D

10 comentários:

  1. Oie :)

    Eu já estou tirando esse livro da minha lista de desejados pois as críticas em cima dele não estão boas :(

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hauhauhuahua!
      Que nada Gabriel... Quando vê, você curte a leitura! Então não dá para desistir. Cada um tem um gosto... :)

      Beijos!

      Excluir
  2. Que decepcionante. Só tinha visto uma resenha do livro e era positiva, mas a sua me fez pensar duas vezes.
    Até posso ler, mas não vou fazer questão de ler logo.

    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carissa!

      O lance é não ler com muitas expectativas...
      Mas espero que você aprecie a leitura! :)

      Beijos!!

      Excluir
  3. Oi Angélica,
    Nossa até fiquei desanimada com a leitura agora, agora não tenho ideia de quando o lerei, mas o lerei, porque por mais que respeite sua opinião, creio que tenho que vivenciar por mim mesmo. Sabe que quando começaram as críticas de Beijada por Um Anjo foram bem negativas mesmo, eu ia ler e trocar porque não queria o livro, minha surpresa foi que eu li numa sentada e me apaixonei pela história. To torcendo para que o efeito nessa leitura seja o mesmo, no entanto quando li partes repetitivas fiquei com o pé lá atrás....acho que vou deixar um pouco mais de lado essa leitura e realizá-la mais a frente.

    Ótima resenha, gostei dos pontos que citou e o que você não gostou.

    Beijokas Elis!!
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    Nota: Torcendo para que a maré de livros bons que tenho lido continue...sahusha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Elis!

      Leia sim!! :D Pois, gostar ou não gostar de um livro é algo muito pessoal. Já cansei de gostar de livros que a maioria das pessoas odiaram e vice-versa.
      Então, só lendo mesmo...

      Depois vou querer saber o que você achou de leitura! :)

      Beijooo!

      Excluir
  4. poxa pena que não curtiu muito.
    espero gostar nem que seja um pouco
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  5. Nossa, fiquei tão apaixonada por essa capa quando lançaram o livro mas, como de costume, não li a sinopse. Tua resenha me deixou bem desanimada. Não estava na minha lista de desejos, mas é tão triste quando um livro com uma história que tem grandes chances de ser inovadora se torna entediante. Já li alguns livros assim, que quando começam a descrever outros mundos "entristecem" totalmente a leitura. Enfim, pena que o livro não agradou tuas expectativas, Angélica, porque essa capa merecia uma história muito boa. :3

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Odeio quando fazem isso de mudar o nome do livro para alguma coisa nada a ver. Eu quero ler esse livro, mas não estou com aqueeela vontade enorme.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie Angélica =D

    Li sua resenha hoje cedo no serviço, mas só agora consegui passar aqui para comentar.

    Bem ... eu estava levemente curiosa para ler esse livro, mas agora nem isso mais. Estou meio que cansada de histórias superficiais e personagens que não dizem para o que veio na história.

    Se a fantasia que deveria ser o ponto alto do livro não convence, acredito que nem o drama familiar vai me comover =/ Uma pena mesmo.

    Ótima resenha! Adorei a sinceridade... só Deus sabe como está faltando isso na blogosfera ultimamente rs...

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir

Comente, participe dos bate-papos que rolam por aqui!!