9.4.14

Poética - Ana Cristina Cesar

A Gisele do blog Sortimento passou-me uma tag interessante, pois incentiva a leitura de poemas.

Não costumo participar de tags, porque estava postando no blog com uma frequência reduzida. Então dava prioridade às resenhas. Mas, como agora estou por aqui mais seguido, posso dar-me ao luxo de participar desses pequenos desafios. \o/

A tag Desafio Poemas consiste na publicação de um poema em seu blog. O poema não precisa ser escrito por você. O blog indicado a participar do desafio, precisa indicar mais cinco blogs.

Não sou uma leitora assídua de poemas e poesias, mas uma autora que achei muito interessante foi a brasileira Ana Cristina Cesar.



Ana Cristina Cesar foi uma poetisa e tradutora brasileira que nasceu no Rio de Janeiro em 1952 e faleceu em 1983 (cometeu suicídio). A autora é considerada um dos principais nomes da geração mimeógrafo da década de 1970, e tem o seu nome muitas vezes vinculado ao movimento de Poesia Marginal.

A editora Companhia das Letras publicou há poucos meses um livro muito bacana chamado Poética, que contém uma imensa coleção de poemas da autora.
Nesta edição, você encontra uma coleção de livros publicados da autora, bem como desenhos e trechos de seus diários. É muito interessante!


O capricho da editora não tem igual! Você se encanta com o livro!
Dentre os poemas, gostei de um curtindo para o Desafio Poemas. Segue abaixo:


Tenho uma folha branca
                              e limpa à minha espera:
mudo convite

tenho uma cama branca
                             e limpa à minha espera:
mudo convite

tenho uma vida branca
                            e limpa à minha espera:

(05/02/1969)

Então, se você curte esse tipo de leitura, Poética é um belo livro!
Se você quiser saber mais a respeito, leia a sinopse abaixo e um trecho da obra no site da Companhia das Letras.


Sinopse:
Ana Cristina Cesar deixou em sua breve passagem pela literatura brasileira do século XX uma marca indelével. Tornou-se uma das mais importantes representantes da poesia marginal que florescia na década de 1970, justamente pela singularidade que a distanciava das 'leis do grupo'. Criou uma dicção muito própria, que conjugava a prosa e a poesia, o pop e a alta literatura, o íntimo e o universal, o masculino e o feminino - pois a mulher moderna e liberta, capaz de falar abertamente de seu corpo e de sua sexualidade, derramava-se numa delicadeza que podia conflitar, na visão dos desavisados, com o feminismo enérgico, característico da época. Entre fragmentos de diário, cartas fictícias, cadernos de viagem, sumários arrojados, textos em prosa e poemas líricos, Ana Cristina fascinava e seduzia seus interlocutores, num permanente jogo de velar e desvelar. 'Cenas de abril', 'Correspondência completa', 'Luvas de pelica', 'A teus pés', 'Inéditos e dispersos', 'Antigos e soltos' - livros fora de catálogo há décadas estão agora novamente disponíveis ao público leitor, enriquecidos por uma seção de poemas inéditos, um posfácio de Viviana Bosi e um farto apêndice. A curadoria editorial e a apresentação couberam ao também poeta, grande amigo e depositário, por muitos anos, dos escritos da carioca, Armando Freitas Filho. Esta obra reúne os volumes independentes do começo da carreira aos livros póstumos da autora.

Skoob:

Quanto aos bloqueios indicados ao desafio, não deixarei para ninguém em específico. Mas, sim, para todos aqueles que passarem por aqui e lerem este post.

O Desafio está lançado! Vai topar? :D

Um comentário

  1. Oi Angélica,
    fiquei super feliz por teres topado o desafio, e adorei a tua escolha!!!
    Beijos!
    Gisele
    www.sortimento.wordpress.com

    ResponderExcluir

Comente, participe dos bate-papos que rolam por aqui!!

Últimos Instagrams

© Pensamento Tangencial. Design by FCD.