22.2.16

A tristeza de retornar ao Brasil

Quem acompanha o meu Instagram, pôde viajar um pouquinho comigo pela a Europa. Onde apenas 15 dias de férias, trouxeram uma experiência gratificante!


Os nossos destinos foram a Alemanha e a França, países imponentes e grandiosos, que encantam por sua beleza, tecnologia, história e organização.

Tanto na Alemanha quanto na França fomos bem recebidos. Frequentemente nos deparamos com pessoas simpáticas e disponíveis a ajudar esses dois gaúchos (eu e o meu marido) perdidos na Europa.
Os alemães são mais reservados, mas muito educados e prestativos. Os franceses são mais doidinhos e divertidos, adoram um bom papo e estão sempre prontos para ajudar.
A barreira do idioma acabou não sendo uma barreira. Na Alemanha, você consegue se virar com o inglês. Com exceção do interior... Onde encontramos pessoas que não sabiam nada de inglês. Contudo, entre gestos e troca de poucas palavras misturadas entre português, alemão e inglês, conseguimos nos entender.
Já, na França, você encontra muitas pessoas que dominam o inglês. Então é muito tranquilo se virar por lá. E sem falar que o francês é um idioma próximo do português. Portanto, você consegue ler praticamente tudo sem nenhuma dificuldade. Mesmo com pessoas que não falavam inglês e, sim, somente francês, conseguimos nos comunicar sem grandes problemas.

Os franceses foram super pacienciosos conosco. Falavam devagar para entendermos melhor, utilizavam de gestos quando necessário e dentro da mistura de palavras em português, francês e inglês, conseguíamos nos entender. Alguns deles achavam essa salada de palavras algo muito divertido e faziam questão de vir conversar conosco e nos conhecer um pouco melhor.

O brasileiro ADORA falar que o alemão é seco e que o francês é rude. Contudo, as únicas grosserias e falta de educação que presenciamos foram provenientes do povo brasileiro. Se você faz uma pergunta a um alemão ou a um francês em um aeroporto, eles não vão sossegar enquanto ficarem certos de que você entendeu direitinho. Inclusive, vão fazer questão de o guiar até chegar ao local correto. Já, no Brasil, quando fizemos uma pergunta a uma trabalhadora do aeroporto, a “bunita” respondeu pela metade e de má vontade – como se estivesse fazendo um favor. Sendo que ela recebe para isso... Por aí, vocês já tem uma ideia né... Aff!

Voltar ao Brasil foi de uma tristeza enorme! Pois, você se acostuma muito rápido às coisas boas da vida. \o/

Em Paris, caminhávamos às duas horas da madrugada sem medo de sermos assaltados. Você encontra mulheres sozinhas caminhando à noite livremente... Coisa que não consigo me imaginar fazendo no Brasil, a não ser que queira levar um tiro na cabeça. Você compra vinhos maravilhosos em qualquer mercadinho e por preço de banana! Os produtos são de alta qualidade e de baixo valor. Mesmo fazendo a conversão burra que o brasileiro adora fazer... Por que conversão burra? Porque eles ganham em euro, então pagam em euro. É como nós, que ganhamos em real e pagamos em real. Com a diferença que, em vez de pagarmos R$ 20,00 por um bom vinho chileno, pagaríamos R$ 4,00 por um ótimo vinho francês. Acho que deu para entender, né?

Foto: tirada no bairro Montmartre, em Paris, às 2h da madruga. Onde é comum vitrines sem nenhuma grade, carros e motos estacionados nas ruas, pessoas caminhando e conversando tranquilamente.

A gente paga muito caro por tudo! Os europeus comem e se vestem bem por infinitamente menos que nós! Para vocês terem ideia, comprei um casaco para a neve por 30 euros e uma bota forrada com "pelego", também própria para a neve, por 20 euros.
No inverno passado, comprei um casaco “chinelo” na Renner por mais de R$ 200,00. Fui com esse casaco para a Europa e quase coloquei no lixo... de tanto frio que ele me fez passar! Enquanto que o de apenas 30 euros... me deixou aquecida e protegida da chuva e da neve.

E isso entristece muito, gente!! :( Você ver o quanto é explorado no Brasil! Você se rala estudando, trabalhando e o seu dinheiro é sugado todo fim de mês. Você paga caro por roupas de baixa qualidade e por alimentos cheios de agrotóxicos.
Sem falar nos demais itens... educação, saúde, segurança... É bom nem comentar, pois é revoltante! Somos prisioneiros dentro de nossas próprias casas e temos que rezar para não adoecermos.

Enfim... É com muita tristeza que retorno ao Brasil...

Se você tem a possibilidade de ir embora ou de até mesmo fazer um intercâmbio na Europa, não perca essa oportunidade! Lute com afinco! Corra atrás dos seus sonhos!! Você merece viver em um lugar melhor!

Aos poucos, vou falando mais sobre a viagem... Também tenho muitas fotos para mostrar para vocês. \o/ Dentre elas, de um lugar super especial... o restaurante da Amélie Poulain, em Paris, que ficava a apenas duas quadras de onde estávamos hospedados. Dias lotados de muita emoção e de lugares lindos para compartilhar com vocês! :)


* Este post não tem a intenção de criar nenhuma polêmica. Foi simplesmente um desabafo...

Força na peruca, que hoje é segunda-feira!! E o fim das minhas férias...

4 comentários

  1. Angélica, adorei a postagem, e sei que tudo não passa da mais pura verdade. Gostei de saber um pouquinho mais, tenho vontade de ir também, mas não sei quando vou conseguir.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju! Bem isso né? :(
      Vale a pena ir juntando $$, pois é uma viagem inesquecível! Vale muito a pena!
      Numa hora dessas você vai sim, e vai trazer fotos lindas para nos mostrar! :D
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Angélica!
    Imagino a tristeza ao voltar... eu queria tanto ao menos viajar, mas mesmo que tivesse condições sou muito medrosa!
    Acho que me acostumei tanto com o jeito do nosso país que acho que sair daqui vai ser o mesmo...
    Enfim, que sonho poder andar livremente assim às 2 da manhã, sem medo de ser feliz <3

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras| CONCURSO CULTURAL: escolha um nome, ganhe prêmios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kemmy!
      Um dos lugares onde mais precisamos ter medo, infelizmente, é em nosso próprio país. Há alguns meses, uma colega de trabalho do meu marido foi assassinada em frente ao prédio onde morava, em Porto Alegre, enquanto passeava com o seu cachorrinho. Um assalto seguido de morte... E ficou por isso mesmo. :( :(
      Uma das coisas que mais amei na Europa, é essa sensação de liberdade. Você poder caminhar nas ruas sem medo ser assaltado ou morto... Falar ao celular livremente, tirar fotos sem ninguém roubar a sua câmera... Enfim... é bom demais!
      Beijos! :)

      Excluir

Comente, participe dos bate-papos que rolam por aqui!!

Últimos Instagrams

© Pensamento Tangencial. Design by FCD.